domingo, 8 de setembro de 2013

Vulcão dos Capelinhos - Introdução

O Vulcão dos Capelinhos situa-se no extremo oeste do Faial e resultou da acumulação de produtos vulcânicos, emitidos ao longo de treze meses de actividade contínua, entre 27 de Setembro de 1957 e 24 de Outubro de 1958. Na madrugada do dia 27, com a terra a tremer continuamente, os vigias da baleia do Costado da Nau, perto do Farol dos Capelinhos, notaram o oceano revolto. Assustados, alertaram os faroleiros e os seus companheiros da baleação. Não era baleia, nem cachalote – a erupção tinha começado!
A paisagem que hoje se observa resulta de duas fases distintas: entre Setembro de 1957 e Maio de 1958, predominou a fase submarina, com jactos pontiagudos de cinzas (quando o vento soprava de Oeste, o cheiro a enxofre e as cinzas chegavam à Horta!) e densas nuvens de vapor de água, devido ao contacto da lava incandescente com a água fria do mar; entre Maio e Outubro de 1958, deu-se a fase terrestre, com a projecção de diversos materiais piroclásticos: bagacinas (pedra pomes), bombas (fragmentos arredondados) e emplastros (fragmentos que atingem o solo ainda com alguma plasticidade e que, devido à colisão, adquirem uma forma achatada). No início desta nova fase, apareceu um lago de lava fluida com altos repuxos de basalto em fusão. A passagem da actividade submarina para a terrestre, na noite de 12 para 13 de Maio, foi marcada por uma forte crise sísmica em que ocorreram cerca de 450 abalos.
Com o passar das semanas e dos meses, o Vulcão dos Capelinhos, que tinha, inicialmente, dado lugar ao nascimento de uma ilhota anelar, passou a península, integrando-se no Faial. No final, com as cinzas e lavas expelidas, a área da ilha tinha aumentado 2,4 Km2. Apesar da violência sísmica e vulcânica, ninguém morreu. (adaptado de Victor Hugo Forjaz, Vulcanólogo da Universidade dos Açores, Capelinhos – Um Vulcão que veio do Mar e Andreia Porteiro, Geóloga do Parque Natural do Faial, A erupção do Vulcão dos Capelinhos, http://siaram.azores.gov.pt )

Conjunto de seis fotografias de Robert Sisson, publicadas num artigo na National Geographic, A new volcano bursts from the atlantic, em Junho de 1958.













Postal digitalizado. Vulcão dos Capelinhos, Lago Hawaiano. 
Foto: Victor Hugo Forjaz, 13.05.1958.


Edifício vulcânico construído pelo Vulcão dos Capelinhos pouco após o termo da erupção. 
Foto de O. Veiga Ferreira, 1959. Fonte: geocrusoe.blogspot.pt